Busca

Operações Básicas


Nesta seção serão abordados as seguintes operações básicas:

Iniciar processo
Como preencher o cadastro de processos
Excluir/alterar processo
Incluir documentos
Inserir documento interno
Como preencher o cadastro de documentos internos
O editor de texto do SEI
Como fazer referência a documentos e processos
Como usar os estilos de texto
Inserindo imagens
Inserindo tabelas
Colando o texto de outro documento

 

Inserindo um documento externo
Como preencher o cadastro de documentos externos
Alterar cadastro de documento interno e externo
Excluir documento interno e externo
Assinar documento
Enviar processo
Receber processo
Distribuição de processos
Atribuição de processos
Anotações

 


Iniciar processo

O que muda do processo em papel: No SEI, qualquer unidade pode iniciar um processo! não é mais necessário encaminhar os documentos ao setor de autuação. Veja abaixo as instruções.

A antiga autuação de processo mudou. No SEI, autuar se torna “iniciar” um processo. Veja como.

1. clique em iniciar processo; 2. escolha o tipo de processo;

Digite o nome do tipo de processo na lacuna para filtrar os tipos exibidos e facilitar a sua escolha. A tela de escolha do processo indica tipos de processos já criados pela unidade. Caso sua opção não apareça na lista, clique em “Exibir todos os tipos” para expandi-la. Caso não haja o tipo desejado, ele ainda não está disponível no SEI.

Atenção: não é necessário selecionar o nível de acesso aos processos na maioria dos casos. o processo será automaticamente etiquetado de acordo com o seu tipo. Dica: caso o tipo de processo não apareça na tela, clique no ícone de + para ver todos os tipos de processos.

3. preencha as informações sobre o processo. Dica: para alterar o tipo de processo, clique na seta; 3.1. Faça uma breve descrição do processo (opcional); 3.2. indique o assunto do processo; 3.3. indique o(s) interessado(s) no processo (opcional); 3.4. indique o nível de acesso do processo; 4. clique em salvar para criar o processo.

Pronto, o processo foi criado! Abaixo explicamos em maiores detalhes como preencher corretamente os campos.


Como preencher o cadastro de processos?

Na maior parte dos processos, as informações de preenchimento obrigatório para criação do processo vêm previamente selecionadas. Ou seja: basta escolher o tipo de processo e clicar em “Salvar” para criá-lo. Mas existe uma série de vantagens em preencher as informações opcionais: melhorar a organização dos documentos, facilitar a pesquisa por informações, melhorar a gestão documental. Confira as orientações abaixo.

Especificações (opcional)

especificação
Essa informação é de preenchimento opcional. Acompanha o destaque amarelo na tela de Controle de Processos. Uma descrição objetiva ajuda a identificar imediatamente o objeto do processo.

Classificação por assuntos (obrigatório)
Esse campo é de preenchimento obrigatório, mas a maioria dos processos já vem classificada no SEI. Caso queira refazer a classificação, confira as instruções abaixo. O SEI possui uma nova tabela de assuntos, distinta da tabela do SIMPROC (nosso antigo sistema de tramitação de processos em papel), e mais abrangente.

Interessados (opcional)

Esse campo é opcional, e serve para indicar os interessados no processo (pessoas físicas e jurídicas ou órgãos da administração). O mesmo processo pode ter diversos interessados. Veja abaixo as instruções.

Alterando os campos classificação por assunto e interessado
Ambos são preenchidos da mesma maneira. Essas instruções também são aplicáveis para o cadastro de documentos, destinatários e no envio de processos a outra unidades.

1. Adicionar assunto/interessado - por digitação; 1.1 Digite a informação no campo até ela surgir na lista abaixo; 1.2 Clique na opção desejada; 2. Adicionando assunto/interessado - por pesquisa; 2.1 Clique na lupa 2.2 Uma nova janela se abrirá; 2.3 Digite o termo que deseja pesquisar; 2.4 Clique em pesquisar; 2.5 Selecione a opção desejada; 2.6 Clique em transportar; 2.7 Clique em fechar; 3. Para remover assunto/interessado; 3.1. Clique no assunto/interessado; 3.2. Clique em excluir
Observações da unidade (opcional)

Este campo é opcional, e serve para que as unidades possam cadastrar no processo qualquer informação de seu interesse.

Nível de acesso (obrigatório)

atenção: processo de compras públicas e de movimentação orçamentária iniciam-se com nível de acesso restrito de acesso, podendo, posteriormente, ter seu nível alterado
A classificação por nível de acesso é obrigatória no SEI. São três os níveis de acesso: público, restrito e sigiloso. A maioria dos processos já vem com o nível selecionado – que raramente pode ser alterado. Caso seja necessário, siga as instruções abaixo:

1. selecionar nível de acesso; 1.1. selecione a opção desejada; 1.2. selecione a hipótese legal. Caso o nível de acesso seja restrito ou sigiloso, uma hipótese legal que fundamenta a restrição de acesso já vem pré-selecionada e pode ser alterada na seleção disponível.


Excluir/Alterar Processo

Cometeu um erro no cadastro? Antes que o processo seja enviado à outra unidade, você pode editar suas informações cadastrais ou até mesmo excluí-lo por completo (caso ele já tenha documentos, é preciso excluir primeiro os documentos e depois o processo). Você pode fazer isso na Tela do Processo.

alterar informações cadastrais do processo; Excluir processo, se ele não tiver sido enviado a outra unidade;  Ao selecionar a opção alterar informações do processo, o sistema retorna à tela de cadastro do processo. Lá, basta alterar o que errou e salvar.


Incluir Documentos

Todo processo é criado inicialmente sem documentos, como uma “pasta vazia”. Não fazemos mais juntadas; inserimos documentos.

Juntada de documentos/Inserir documentos: no processo em papel, instruímos os processos por meio das juntadas de documentos e folhas de informação. No Processo Eletrônico, todas as informações são inseridas em documentos. Não há mais a antiga diferença entre documento e folha de informação.

No SEI, tudo o que é juntado é documento. Diferenciamos apenas os documentos internos, gerados no editor de texto do sistema e assinados com assinatura eletrônica, e documentos externos, gerados fora do sistema (como planilhas do Excel e arquivos PDF).

árvore A diferença entre documentos internos e externos. Documento interno: todo documento formal elaborado pela unidade (solicitação, pedido, requerimento, parecer, encaminhamento, e tudo o que vai na folha de informação, no papel). Documento externo: todo documento não elaborado pela unidade, mas que precisa ser juntado ao processo (documentos pessoais digitalizados, cópias de extrato bancário, relatórios do SOF e outros sistemas, etc.).

Nesta seção, vamos aprender a inserir os dois tipos de documentos.


Inserir Documento Interno

O procedimento para inserir um documento se assemelha ao procedimento de criar um processo. Vemos os passos abaixo.

1. Clique em inserir documento

2. Escolha o tipo de documento. Caso o tipo de documento não apareça na tela, clique no ícone para ver a lista completa.

3. Preencha os dados do documento. O uso de documento modelo e texto padrão será abordado posteriormente; 3.1. Escolha se quer partir de um documento modelo, texto padrão, ou se quer começar com um documento em branco (nenhum); 3.2 Preencha com breve descrição do documento; 3.3 Preencha a classificação por assunto.

3.4 Forneça eventuais observações de sua unidade; 3.5 Indique o nível de acesso do documento; 4. Clique em confirmar dados.

Pronto, o documento foi inserido! Abaixo explicamos em maiores detalhes como preencher corretamente os campos.


Como Preencher o Cadastro de Documentos Internos

Para a maior parte dos documentos internos, a única informação obrigatória (o nível de acesso) vem previamente selecionada. Ou seja: basta escolher o tipo de documento e clicar em “Confirmar Dados” para cadastrar um documento! No entanto, utilizar os recursos descritos abaixo enquanto boa prática melhora a qualidade do trabalho.

Texto inicial (obrigatório)
Este campo é obrigatório. Caso não possua modelos ou textos padrão, inicie o documento escolhendo “Nenhum”. Para utilizar esses recursos, confira a seção Para Organizar o Trabalho deste manual.

Descrição (opcional)
Essa informação é de preenchimento opcional. Semelhante ao campo especificação do cadastro de processos.

Interessados e destinatários (opcionais)
Esses campos servem para incluir e editar os interessados e destinatários nos documentos. Para instruções de como preencher os campos, confira as orientações da seção Como preencher o Cadastro de Processos.

Classificação por assuntos (opcional)
Nos documentos, a classificação por assuntos é opcional. Para instruções de como preencher o campo, confira as orientações da seção Como preencher o Cadastro de Processos.

Observações da unidade (opcional)
Este campo é opcional e de livre utilização para que as unidades possam cadastrar no processo qualquer informação de seu interesse.

Nível de acesso (obrigatório)
A classificação por nível de acesso é obrigatória no SEI. São três os níveis de acesso: público, restrito e sigiloso.

O nível de acesso dos documentos deverá ser Público. Ainda que os processos tenham nível restrito ou sigiloso, os documentos públicos não poderão ser acessados por unidades estranhas ao processo. Manter o nível público dos documentos facilita o trabalho, uma vez que os processos tenham seu nível alterado para Público, os documentos já estarão com esse mesmo acesso, evitando gastos de tempo na modificação de nível de acesso em cada um dos documentos juntados.

Na maioria dos tipos de documento, o nível de acesso é público.

 Com o SEI, tudo o que constava na folha de informação agora deve ser classificado por tipo de documento. Como regra, siga as orientações e veja os documentos mais utilizados:

Despacho: decisão ou deliberação de autoridade pública aposta em petições, requerimentos, etc. Exemplos: despacho de abertura ou homologação de licitação; despacho autorizatório; despacho de aplicação de penalidade. Encaminhamento: documento que expressa o encaminhamento à próxima unidade ou quando não couber o uso de nenhum outro tipo de documento. Substitui a cota. Informação: documento em que o servidor, atendendo à solicitação de alguma autoridade, presta esclarecimentos e elucida algum ponto impreciso sobre uma situação. Solicitação: documento elaborado pela unidade quando ela for interessada, com o objetivo de requerer ou pedir à outra unidade que se torne alguma decisão ou providência. Exemplos: solicitação de reserva de recursos.


O Editor de Texto do SEI

Após o cadastro do Documento Interno, o SEI abre, em uma nova janela, o Editor Interno de Texto. É possível acessá-lo também a partir da Tela do Documento, clicando no ícone indicado abaixo.

Clique em Editar Documento

Vemos abaixo o Editor Interno do SEI.

Editor de texto: o documento é dividido em seções: seções em cinza são preenchidas pelo SEI e não podem ser editadas; seções brancas são abertas para inclusão de informações

Todo documento é compostos por seções. Nas seções em cinza, não é possível editar o conteúdo, que é padronizado (como número do processo, órgão de origem). Nas seções em branco o conteúdo do documento deve ser inserido. O SEI dispõe de ferramentas de formatação de texto, inserção de imagens e tabelas, além dos recursos de referência a documentos/processos e estilos de texto descritos abaixo.


Como fazer referência a documentos e processos

Como fazer referência a documentos e processos Número de página/Número SEI do documento: no processo em papel, sempre que precisamos fazer referência a algum documento do processo, indicamos em qual página do processo ele se encontra. No Processo Eletrônico, não há mais páginas. As referências são feitas usando o número SEI do documento, sempre que juntar um documento externo ao processo, faça referência a ele em um documento interno.

Com o recurso “Inserir um Link para processo ou documento do SEI!”, fazemos referência a outros documentos ou processos. Para isso, utilizamos o número SEI do Documento ou o número do processo. Clique no lugar onde deseja inserir a referência no documento, e siga as instruções abaixo:

1. Clique no ícone; 2. Preencha com o número SEI do documento ou processo e aperte OK. 3. A referência está feita; 4. Ao salvarmos o documento, vemos a referência e o link adicionado.


Como usar os estilos de texto

Os estilos de texto do SEI facilitam a formatação dos documentos. Basta selecionar o texto que deseja formatar e escolher a opção para ver o resultado. Estilos como “Parágrafo Numerado Nível 1” são recomendáveis para redação de notas técnicas, informações e pareceres, enquanto o estilo “Texto Justificado Recuo Primeira Linha” serve para a maior parte das solicitações e encaminhamentos. Utilize este recurso e não perca mais tempo com a formatação de seu texto!

Selecione o texto que deseja editar, clique no menu e selecione o estilo.

Os estilos de texto são um conjunto de formatos predefinidos, como tipo e tamanho de fonte, espaçamento, numeração e destaques mais adequados a cada tipo de conteúdo. Por exemplo, você pode utilizar um estilo com numeração quando estiver elaborando um despacho ou uma portaria, ou utilizar um estilo de texto justificado com recuo na primeira linha quando se tratar de uma informação ou um encaminhamento.

Abaixo, confira alguns dos estilos de texto do SEI que facilitam a formatação dos documentos internos da sua unidade.

19


Inserindo imagens

Você também pode inserir imagens no corpo do documento, quando for pertinente. Esse recurso é útil, por exemplo, quando você precisa inserir um logotipo, um diagrama, um gráfico ou quaisquer outros elementos gráficos úteis à informação elaborada por sua unidade. Para fazer isso, basta clicar no ícone de imagem na barra de ferramentas do editor de textos.

Clique no ícone de imagem

Será aberta uma janela para fazer o upload do documento, ao selecioná-la em seu computador, clique em OK.

1. clique em escolher arquivo e selecione a imagem desejada; 2. após sua inserção, confira na pré-visualização se a imagem correta foi selecionada; 3. depois de conferir, clique em ok. Dica: a imagem será inserida no mesmo local em que estiver posicionado o cursor. Além disso, imagens muito largas podem ficar mal posicionadas no documento. Por isso, evite inserir imagens com largura muito grande. Imagem inserida no processo


Inserindo Tabelas

O editor do SEI também permite que você insira e formate tabelas. Esse recurso possibilita que os documentos internos sejam parecidos com formulários, de preenchimento fácil e visualmente organizado, mas também permite a apresentação de dados quantitativos, por exemplo, ou qualquer outro tipo de informação que possa ser sintetizada em quadros e tabelas.

Para inserir tabelas em seus documentos internos no SEI, clique no ícone  na barra do editor de textos.

clique no ícone de tabela

O sistema apresentará uma janela com as informações necessárias para criar sua tabela. Preencha o número de linhascolunas e as dimensões de largura e altura.

Você também pode escolher o local de alinhamento da tabela no corpo do documento, se estará à direita, centralizada ou na parte esquerda do documento.

O campo de “legenda” pode ser utilizado para criar uma legenda automática da tabela. Por fim, clique em “OK”.

1. insira a quantidade de linhas e de colunas da tabela; 2. insira a largura e altura de sua tabela em pixels; 3. selecione qual será o alinhamento de sua tabela no documento; 4. insira a legenda de sua tabela; 5. clique em ok Dica: Para inserir ou remover linhas de uma tabela já existente no documento, basta clicar sobre ela com o botão direito do mouse e selecionar a opção Tabela inserida e já pode ser preenchida com dados.

 


Colando o texto de outro documento

O editor do SEI também permite que você copie e cole o conteúdo de outro documento ou arquivo eletrônico no corpo do documento interno do SEI. Basta copiar e colar o conteúdo normalmente, como você já faz em outros aplicativos do computador.

Ao colocar o conteúdo na edição do documento, uma janela se abrirá requisitando que você cole novamente o conteúdo em uma caixa em branco. Após realizar esse procedimento, clique em ok


Inserindo um documento externo

O procedimento de inserir um documento externo é semelhante ao do documento interno. Na Tela do Processo:

1. Clique em inserir documento; 2. Escolha documento externo; 3. Preencha os dados do documento

Como o documento externo, por definição, não é criado pelo SEI, ele necessita de uma maior quantidade de informações obrigatórias e oferece outros campos opcionais para preenchimento. Confira abaixo.

3.1 Indique o tipo de documento; 3.2 Indique a data de recebimento ou emissão do documento; 3.3 Personalize o nome na árvore de processos; 3.4 Caso o documento tenha sido digitalizado, indique se a digitalização foi do original ou de uma cópia; 3.5 Preencha estes campos opcionais com informações que forem relevantes ao trabalho. Confira a seção anterior sobre o cadastramento de documento interno; 3.6 Indique o nível de acesso do documento; 3.7 Clique em selecionar arquivo para localizar o documento em seu computador e anexá-lo; 4. Clique em confirmar dados.

Não se esqueça de conferir se o arquivo foi carregado no SEI. Com o documento incluído, o sistema vai para a tela do documento.

Com o documento incluído, o sistema vai para a Tela do Documento.

Nem todos os formatos de arquivo externo abrem no SEI. Em alguns casos, é necessário baixar o arquivo.


Como preencher o cadastro de documentos externos

Para a maior parte dos documentos externos, é obrigatório indicar o tipo do documento, a data de criação e o nível de acesso. Todas as demais informações são opcionais. Destacamos nessa seção os campos específicos de documento externo. Para conferir como cadastrar os demais campos, retorne às seções anteriores.

Tipo de documento (obrigatório)
O Documento Externo é um tipo de documento classificado duas vezes: é documento externo, mas também é um tipo de documento (extrato, relatório, nota fiscal, planilha, petição, etc.). Aqui, indicamos qual tipo de documento esse documento externo é. Ele identifica o documento na Árvore do Processo.

Informação vai para a árvore de processos.

Data do documento (obrigatória)

Essa informação é de preenchimento obrigatório. A data do documento deve corresponder à data em que o documento foi recebido/protocolado na unidade.Número/nome na árvore (opcional)

Essa informação é de preenchimento opcional. Deve corresponder ao número constante do cabeçalho do documento, se houver, ou algo que sirva para facilitar sua identificação, como CNPJ (tipo documento) do fornecedor (Número/Nome na árvore). O número ou nome fica identificado na Árvore do Processo, imediatamente ao lado do tipo de documento.

Número/nome fica registrado na árvore do processo

Tipo de conferência (opcional)
Esse campo é de preenchimento opcional. Utilizado quando o documento externo for um arquivo digitalizado, permite identificar se este arquivo foi digitalizado a partir do documento original, de uma cópia autenticada ou de uma cópia simples.


Alterar cadastro de documento interno e externo

Cometeu algum erro no cadastramento de seu documento interno? Esqueceu-se de anexar o arquivo e o SEI cadastrou um documento externo “vazio”? Anexou o arquivo errado? Para todos esses casos, enquanto o processo não for encaminhado à outra unidade, você pode alterar todas as informações cadastrais – inclusive o arquivo carregado!

Ao selecionar a opção alterar informações do documento, o sistema retorna à tela de cadastro do documento. Lá, basta alterar o que errou e salvar.


Excluir documento interno e externo

Se alterar o cadastro do documento não é o suficiente e você realmente necessita remover o documento do processo, é possível exclui-lo.

Excluir documento: caso o processo ainda não tenha sido acessado por usuário de outra unidade, o ícone “Excluir” aparece na lista de operações da Tela do Documento. Para excluir um documento, basta clicar no ícone. O documento é removido da Árvore do Processo.

Clique no botão Excluir.

Atenção: antes de enviar o processo a outra unidade, sempre verifique o conteúdo de todos os documentos juntados para garantir que estejam corretos. Antes do envio, você pode alterar informações cadastrais, editar conteúdo, substituir arquivo anexo e até excluir o documento.


Assinar documentos

Sem estarem assinados, os documentos não possuem valor legal. No SEI, os documentos gerados no editor interno devem ser assinados com assinatura eletrônica do sistema. A assinatura é um operação simples que possui dois tipos distintos de procedimentos: a assinatura simples e o bloco de assinaturas (explicado no manual avançado). Trataremos da assinatura simples neste manual.

Documentos recebidos/externos. No SEI, o documento externo não é assinado. Ele é tratado como um documento pronto, assinado antes da inclusão no sistema. Se precisar assinar um documento externo, deve incluir e assinar um documento interno com referência ao primeiro.

Assinatura simples

1. Selecione o documento que será assinado; 2. Clique no ícone assinar documento

Ao clicar no ícone, a Tela de Assinatura é aberta, onde assinamos o documento. Basta preencher os dados abaixo:

3. Preencha os campos com as informações solicitadas; 3.1 Escolha a sigla da secretaria, subprefeitura, fundação ou autarquia do assinante; 3.2 Escreva o nome completo do assinante; 3.3 Escolha o cargo/função do assinante; 3.4 Digite a senha da rede da Prefeitura e tecle Enter.

Nessa tela, sistema pede que coloquemos nome, cargo e senha de acesso ao SEI. Qualquer usuário cadastrado no sistema pode assinar o documento selecionado a partir dessa tela. Assim, por exemplo, é possível preparar um documento e solicitar que a chefia venha a seu computador apenas para inserir a senha pessoal. Muito prático!

Prepare o despacho e chame a chefia somente para assinar. Ela nem precisa estar com o computador ligado! Atenção! A senha é de uso pessoal e intransferível. Manter o sigilo da senha é responsabilidade do servidor.

Todo documento assinado no SEI possui uma assinatura em seu rodapé, ilustrada abaixo:

Garantia de autenticidade do documento pelo site.

A autenticidade do documento pode ser conferida pelo no site indicado no rodapé. Siga as instruções da página. Após assinado, o documento ganha um símbolo de “caneta” ao seu lado na Árvore do Processo, conforme imagem abaixo.

Caneta preta: indica que o documento assinado já foi visualizado por outra unidade. Não é mais possível editar ou excluir o documento. Caneta amarela: indica que o documento assinado não foi visualizado por outra unidade, podendo ser editado e excluído. Documento não assinado/minuta: no processo em papel, se não assinamos um documento ele não possui valor legal. No SEI um documento interno não assinado é chamado de minuta e não é visualizável por usuários de outra unidade.

Esse procedimento é simples, mas trabalhoso quando precisamos assinar muitos documentos de uma vez, e também impede a preparação de despacho para chefias em outras unidades. Para esses casos, o SEI dispõe do Bloco de Assinatura, recurso tratado no curso e manual avançado do sistema.

A minuta de outra unidade aparece na árvore em outra cor e não pode ser acessada.

Para assinar o documento diretamente na página de edição é preciso terminar as alterações e clicar em Assinar.

Clique no botão assinar na página de edição quando finalizadas as alterações


Enviar processo

Envio a múltiplas unidades: no pael, se um processo exigisse medidas de múltiplas unidade, ele precisaria ser enviado e passar por uma unidade de cada vez, o que acrescenta muito tempo à tramitação. No SEI o processo pode ser enviado a várias unidades, para que cada uma delas atue simultaneamente no processo.
Tendo criado um processo, incluído todos os documentos necessários e os assinado, passemos agora a tramitar o processo para a próxima unidade. No SEI, a tramitação é denominada Envio de Processo. Selecione o processo que deseja enviar e clique no botão “Enviar Processo”.

1. Clique em enviar processo.

Na Tela Enviar Processo, a indicação da(s) unidade(s) para envio pode ser feita tanto no campo livre de digitação, como na função de pesquisa, representada pelo botão da lupa. Para maiores informações, consulte seção Como Preencher o Cadastro de Processos.

2. Indique a/as unidade/unidades para o envio do processo; 2.1 Por digitação/pesquisando com lupa; 3. Clique em enviar.

Pronto! O processo foi enviado e já pode ser visto pelas unidades para as quais você o enviou.O envio dos processos também pode ser realizado em lote, na tela de controle de processo. Selecione os processos desejados. Clique no ícone de envio e siga as orientações acima.


Receber processos

Como já sabemos o trabalho com processos administrativos consiste não somente em criá-los e enviá-los a outras unidades, mas também em receber processos, analisar e dar o devido andamento. A partir desta seção, vamos explicar como fazer isso no SEI. Na Tela Controle de Processos vemos uma relação com todos os processos recebidos pela unidade. Os processos em cor vermelha, ainda não foram recebidos por nenhum usuário na unidade. Para recebê-los, basta clicar sobre um. Pronto! Já foi recebido.

Para receber um processo, clique no número do protocolo.


Distribuição de processos

Uma vez que o processo tenha sido recebido, é preciso dar-lhe o devido andamento. É comum que, para isso, o processo seja atribuído a um servidor da unidade.


Atribuição de processos

A atribuição é um recurso para distribuir os processos entre os usuários da unidade. Ela não impede que outros usuários da unidade atuem no processo (inserindo, editando e assinando documentos), apenas informa que ele está sob os cuidados deste usuário em particular. No SEI, atribuir o processo é muito fácil. Veja abaixo.1. Com o processo aberto, clique no ícone atribuir processo; 2. Selecione o servidor a quem o processo será atribuído; 3. Clique em salvar.

Pronto! O processo foi atribuído. Caso precise alterar a atribuição, siga novamente os passos e a primeira atribuição cairá. Os processos só podem ser atribuídos a uma única pessoa.A atribuição de processos pode ser realizada em lote, através da seleção dos processos da unidade. Para isso, na tela Controle de Processos, selecione os processos desejados e clique no ícone de atribuição, seguindo os passos acima.


Anotações

O recurso das anotações é o perfeito substituto dos papeizinhos com grampo e post-its que estamos acostumados a utilizar no processo em papel! Tem como principal função registrar orientações para o trabalho do usuário na Tela Controle de Processos. Pode ser um recado de urgência, alguma orientação do diretor do departamento, uma breve explicação sobre o processo. Vejamos como utilizá-la.

1. Com o processo aberto, clique no ícone Anotações; 2. Digite a anotação no campo Descrição. A opção prioridade muda a cor do bilhete amarelo para vermelho, e permite a distribuição entre recados normais e urgentes; 3. Clique em salvar.

Pronto! O recado está registrado no . Ele acompanha o número do processo na Tela Controle de Processos:

Ao passar o cursor do mouse sobre o ícone, a anotação aparece.

Para que as anotações não sejam visualizadas por outras unidades, você deve excluí-las antes da tramitação do processo, na opção Remover anotação na tela de envio do processo.As anotações podem ser realizadas em lote. Na tela Controle de Processos, selecione os processos desejados e clique no ícone de anotações, seguindo os passos acima.

Secretaria Municipal de Gestão
Viaduto do Chá, 15, 8º andar
Centro
CEP 01002-020
Secretaria Municial de Inovação e Tecnologia
Rua Libero Bardaró, 425, 4º Andar
Centro
CEP 01009-905

(11) 3396-7080